CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  

Muito conhecida entre os brasileiros, o INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, é popularmente conhecida entre os brasileiros como “Aposentadoria” e faz parte da previdência social prevista a todos os cidadãos, seja por idade, tempo de serviço ou invalidez.

Criado em 27 de junho de 1990, durante o governo do ex-presidente Fernando Collor de Mello, o INSS surgiu a partir da fusão do Instituo de Administração Financeira da Previdência e Assistência social – IAPAS, com o Instituto Nacional de Previdência Social – INPS.

Está entre as competências deste instituto a operacionalização de reconhecimento dos direitos dos assegurados do Regime Geral de Providência Social – RGPS. Vale ressaltar que essa é uma organização pública e prestadora de serviços previdenciários para a sociedade, que visa atender as necessidades previdenciárias de seus contribuintes.

Contribuição do INSS

Essa contribuição deve ser feita a partir do momento que a pessoa iniciar uma atividade remunerada. A contribuição pode variar de acordo com o trabalho exercido pelo segurado (quem paga o INSS).

No caso dos empregados, é o empregador quem fica responsável por recolher a contribuição. Para as pessoas que trabalham de forma autônoma, deve haver uma inscrição na Previdência Social e pagamento da Guia de Previdência Social.

Essa contribuição mensal é calculada a partir de uma porcentagem do salário de contribuição da pessoa, ou seja, sua remuneração mensal, que no caso dos autônomos, é seu valor recebido no mês. Esses valores podem mudar anualmente, variando de 8% a 11%, descontado direto na folha de pagamento, mas com um valor mínimo e máximo.

Para saber um valor aproximado, basta consultar o site da instituição e fazer uma simulação. Assim que isso for feito, será possível analisar todas as possibilidades de desconto, pagamento e benefícios garantidos pelo seguro social.